Trabalhando o tema “povos indígenas”

Ilustração. Zé Plenarinho e Ana Légis abraçam um menino indígena. Os três pisam sobre o desenho do mapa do Brasil verde-claro. Em volta do mapa do Brasil, desenho, em marrom, do mapa de outros países e continentes, de onde saem setas coloridas que apontam para o mapa verde.

Professor, trabalhe vários aspectos da cultura indígena em sala de aula utilizando os produtos do Plenarinho.

Apresentação

Os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) voltados ao ensino de história do 1º ciclo, preveem a introdução do estudo dos povos indígenas. O PCN salienta que esse estudo é relevante por terem sido os primeiros habitantes das terras brasileiras e, até hoje, terem conseguido manter formas de relações sociais diferentes das que são predominantes no Brasil. É preciso compreender a diferença entre os próprios grupos indígenas, os costumes e relações sociais desses povos, diz o PCN.

Público-alvo: Crianças do 1º ciclo do ensino fundamental

Disciplinas trabalhadas e Conexão curricular: ensino de história

Objetivo: Ajudar a criança a reconhecer algumas semelhanças e diferenças no modo de viver deles próprios e dos povos indígenas, como previsto nos PCNs, de modo a desenvolver um relacionamento baseado no respeito para com as comunidades indígenas e com o diferente.

Etapas

O projeto será dividido em 3 aulas de 40 minutos cada.

Etapa 1: Mostrar para as crianças o Infográfico do Plenarinho “Índio por um Dia”. Nesse produto, Cauã, criança indígena da tribo Gavião Parkatejê, mostra como é o dia-a-dia de uma tribo indígena. Quem são o pajé e o cacique? Como é a alimentação deles? Quais são os costumes de seu povo? Tudo isso está explicado nesse infográfico animado.
Depois de se debruçar pelo infográfico (que tem uma leitura fácil, com muitos desenhos), pedir para as crianças desenharem o cotidiano dos índios.

Etapa 2: O Plenarinho tem uma extensa reportagem sobre os índios, abordando aspectos como educação indígena, cultura dos povos indígenas, etc. Mas com o projeto voltado para crianças pequenas, do 1º ciclo do ensino fundamental, não é adequado passar para os pequenos um material com essa complexidade. Por isso, elegemos um aspecto do texto que as crianças podem ter bastante interesse: como é a infância na aldeia? Sugerimos que a atividade comece com uma roda de conversa em que cada um imagina como é o dia-a-dia de uma criança indígena. Quais seriam as semelhanças com seu próprio dia-a-dia? E as diferenças, são muitas? Depois da discussão, a professora lê para elas o texto “As crianças”, dentro da reportagem citada. E a discussão continua.

Etapa 3: Mostrar para as crianças o vídeo do garoto Euclides, um índio de 14 anos da tribo Terena, que mora no Mato Grosso do Sul. Euclides explica como é a vida de um índio, o que ele faz, o que come, etc. Após a exibição do filme, fazer uma tabela no quadro
com as semelhanças e diferenças entre a vida do índio e seu próprio cotidiano.
Tempo de execução: três aulas de 40 minutos cada

Material necessário

Para a primeira aula, será necessário que as crianças tenham um computador ligado à internet para acessar o infográfico. Para a segunda aula, é necessário apenas o texto impresso do subtítulo “As Crianças”, na reportagem Todo dia Era dia de Índio”. Para a terceira aula: apenas o vídeo do filme citado, que está disponível no Youtube. Dessa forma, torna-se necessário apenas um computador com acesso à internet.

Critérios de avaliação: As crianças conseguiram identificar diferenças e semelhanças entre sua vida e a dos índios?

Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura "plenarinho.leg.br - Câmara dos Deputados" e não seja para fins político-partidários

Comente!

Seu endereço de email não vai ser publicado. Campos marcados com * são exigidos