Sepé Tiaraju

Ilustração, Fundo em tons de marrom, com o parte central mais clara. Ao centro, a ilustração de um índio. Homem de pele morena, cabelos pretos, lisos, partidos ao meio, com uma faixa vermelha que prende a parte da frente. O homem está com o peito nu.

“Por sua bravura, Sepé Tiaraju foi canonizado pelo povo gaúcho como São Sepé e tornou-se uma referência na luta pela preservação da nação.”

Apesar de toda a luta de Zumbi dos Palmares para a libertação dos escravos, a escravidão continuava no Brasil. Mais ou menos uns quarenta anos depois da sua morte, surgiu um novo líder que entrou para a história: Sepé Tiaraju.

Ele nasceu em um lugar chamado “Sete Povos das Missões”, que era ocupado pelos índios do povo Guarani há 130 anos. Sepé chegou a ser prefeito por lá e era muito querido por todos os habitantes.

O problema começou quando tropas portuguesas e espanholas se desentenderam na negociação de territórios e iniciaram uma guerra para dominar Sete Povos das Missões, expulsando os índios dali.

Sepé teve então que liderar o seu povo e lutou bravamente para defendê-lo. Mas ele foi morto em combate e, junto com ele, 1.500 guaranis foram exterminados. Era o ano de 1756.

O nome de Sepé está lá gravado no Livro de Aço do Panteão da Liberdade, que fica em Brasília, com os nomes de brasileiros que se destacaram ao longo da nossa história. 

Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura "plenarinho.leg.br - Câmara dos Deputados" e não seja para fins político-partidários

Comente!

Seu endereço de email não vai ser publicado. Campos marcados com * são exigidos