Dom João VI: você sabe o que era o beija-mão?

Por aqui, na época do Império, existiam algumas ocasiões em que nobres e plebeus dividiam o mesmo espaço, como no caso de missas, procissões e do beija-mão. Beija-mão?? Isso mesmo…  Antigamente, em algumas cortes, era comum um ritual em que as pessoas, tivessem elas títulos de nobreza ou não, participavam de cerimônias em que se beijava a mão direita dos reis, em sinal de reverência. Portugal foi o último país a abolir essa prática e, mesmo em desuso, Dom João VI resolveu introduzi-la aqui, em terras tropicais.

O ritual

Acontecia assim: todas as noites, por volta das 20h, toda a corte se reunia para prestigiar aquela solenidade. Ao som da banda musical da corte, as portas do salão cerimonial se abriam e os súditos se inclinavam em respeito ao trono. Após ajoelhar-se, o súdito beijava a mão de D. João VI, e também a de outros membros da família real. O evento era muito esperado por todos, pois era uma ótima oportunidade de colocar a melhor roupa, ficar cara a cara com o rei e ainda fazer um pedido ou uma reclamações ao monarca. Também era muito bom para conhecer os demais integrantes da corte real.

 

 

 

Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura "plenarinho.leg.br - Câmara dos Deputados" e não seja para fins político-partidários

Comente!

Seu endereço de email não vai ser publicado. Campos marcados com * são exigidos