A ordem é se vacinar!

Ilustração. Fundo em tons de laranja. Ao centro, um bebê veste roupa azul e sorri com a boca aberta apontada para cima. À direita, aparece uma mão de adulto, que pinga uma gotinha de vacina na boca do bebê.

Há alguns anos, doenças como o sarampo e a poliomielite deixavam sequelas na população e chegavam até a matar. As vacinas surgiram, então, como uma forma de prevenção, tendo até o poder de erradicação de algumas delas, como foi o caso da varíola.

O assunto é tão importante que há situações de união mundial num esforço conjunto de acabar com algumas doenças por meio de vacinas. O combate à poliomielite, também chamada de paralisia infantil, é um dos exemplos desta aliança. A doença causa paralisia nos membros e deixa a pessoa com deficiência física por toda a vida e pode levar à morte nos casos mais graves.  Só a vacina é eficaz contra a poliomielite. Para nossa alegria, em 1994, a Organização Mundial da Saúde declarou a doença definitivamente erradicada das Américas e, da Europa, em 1999.

No Brasil, o sarampo também havia recebido um certificado de erradicação em 2016. Mas em 2018, voltaram a acontecer vários casos e, em alguns estados, tem ocorrido surto da doença. Em  Roraima e Amazonas, quase 500 casos foram confirmados no primeiro semestre de 2018. Na Europa, a doença também voltou! O que pode estar acontecendo??

Volta de doenças erradicadas

A explicação para a volta deste tipo de enfermidade é que pais e mães estão deixando de vacinar seus filhos no Brasil e no mundo. Por aqui, várias notícias falsas, as chamadas fake news, têm se espalhado pelas redes sociais, alardeando horrores sobre as vacinas, dizendo inclusive que elas podem ser causadoras de doenças! Antes de sair por aí acreditando em tudo, é importante buscar informações em diferentes fontes. O médico Dráuzio Varella compara a criminosos quem cria e difunde fake news sobre vacinas, lançando o pânico entre a população.

Um outro motivo para a falta de vacinação é o fato de que, como algumas destas enfermidades estavam erradicadas, alguns pais entenderam que não havia mais necessidade de vacinação. E é aí que mora o perigo! As doenças só desaparecem porque estamos protegidos pela imunização oferecida pela vacina. Sem ela, ficamos tão vulneráveis quanto no passado.

Vacinar é preciso!

Pais e mães devem estar atentos ao calendário de vacinação das crianças. Atualmente, o Calendário Nacional de Vacinação do Ministério da Saúde contempla 19 vacinas, que são oferecidas gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS) a toda a população. E o Brasil é reconhecido internacionalmente como o país que organizou o maior programa de vacinações gratuitas do mundo!

Apesar da existência deste serviço, a cada ano, cai a taxa de pessoas que procuram os postos de saúde para se vacinar. Com isso, aumenta-se, e muito, o risco da volta das doenças já erradicadas. Vamos ficar atentos, pois a recusa à vacinação não é maléfica apenas para a própria pessoa, mas para toda a coletividade!

A Organização Mundial da Saúde destaca que, depois do consumo de água potável,  a vacinação é maior conquista da saúde pública.

Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura "plenarinho.leg.br - Câmara dos Deputados" e não seja para fins político-partidários

Comente!

Seu endereço de email não vai ser publicado. Campos marcados com * são exigidos