Cordel: Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro

No dia 19 de setembro de 2018, a Literatura de Cordel foi reconhecida como Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro, pelo Conselho Consultivo do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Mas, você já ouviu falar em cordel? Sabe o que é?

Cordel é um gênero literário que usa palavras rimadas e muita imaginação. Tradicionalmente o formato de um cordel é um folheto e nele contém versinhos parecidos com poesias. Esses versos contam histórias que podem ser inventadas ou não, pode ser a história de alguém conhecido, ainda uma fantasia, drama, aventura, o que o autor quiser criar.

O nome cordel é original de Portugal e foi escolhido porque, depois de prontos, esses livrinhos eram pendurados em barbantes para serem vendidos.

Esse tipo de literatura veio da Europa e, no Brasil, ficou conhecido entre as décadas de 50 e 60. No nosso país começou na região nordeste, principalmente nos estados da Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Ceará. Hoje, essa arte é conhecida em todo Brasil.

Quem escreve esse tipo de texto é chamado de cordelista. Eles costumam recitar os poemas de forma melodiosa e também fazem declamações animadas.

Xilogravura

A xilogravura é uma característica muito importante do cordel. Os folhetos vêm com diversas figuras e elas são feitas com a xilogravura que é como se fosse um carimbo. Sabe esses que usamos para marcar as coisas? Então, nesse caso os desenhos eram feitos em peças de madeiras. Os gravuristas (quem faz xilogravura) criavam o molde e depois passavam tinta, assim eles conseguiam ilustrar os cordéis.

Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura "plenarinho.leg.br - Câmara dos Deputados" e não seja para fins político-partidários

Comente!

Seu endereço de email não vai ser publicado. Campos marcados com * são exigidos