Mata Atlântica

A Mata Atlântica é uma das florestas mais ricas em diversidade de vida no planeta. Quando o Brasil foi descoberto, em 1500, ela cobria o litoral desde o Rio Grande do Norte até Santa Catarina, ocupando mais de 1,3 milhões de km². Porém, devido à ocupação e atividades humanas na região, hoje restam cerca de 29% de sua cobertura original.

Ainda assim, ela continua sendo a floresta tropical com a maior variedade de formas de vida por metro quadrado. Estima-se que existam ali cerca de 20 mil espécies vegetais (35% das espécies existentes no Brasil, aproximadamente), incluindo diversas espécies endêmicas, isto é, que só dão lá, e ameaçadas de extinção. As árvores mais comuns são o cedro, o ipê, o jequitibá, o pau-brasil, o palmiteiro e a canela.

Em relação à fauna, o bioma abriga, aproximadamente, 850 espécies de aves, 370 de anfíbios, 200 de répteis, 270 de mamíferos e 350 de peixes. Merecem destaque o macaco-prego, o tucano, o tamanduá e o mico-leão-dourado.

Um bioma muito ameaçado

A Mata Atlântica abrange as maiores cidades e regiões metropolitanas do Brasil. Ela se estende por 17 estados brasileiros: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia, Sergipe, Alagoas, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Ceará e Piauí. Nela, vivem mais de 145 milhões de habitantes – cerca de 72% da população brasileira!

Sua importância é enorme para essas pessoas. Nela brota a água que abastece cidades e campos, e que gera energia nas hidrelétricas; sua vegetação regula e equilibra o clima local, além de proteger encostas, evitando erosão e deslizamentos; seu solo fértil produz alimentos, madeira, fibras, óleos e remédios.

Apesar de ser vital para tanta gente, a Mata Atlântica diminui dia a dia, ameaçada pela ocupação humana desordenada e pela degradação avançada de sua cobertura natural.

Na tentativa de proteger o bioma, em 1988, a Constituição Federal o reconheceu como “patrimônio nacional”. E, em 2006, foi sancionada a Lei da Mata Atlântica, que regulamentou a proteção e o uso dos recursos da floresta.

27 de maio – Dia Nacional da Mata Atlântica

A data escolhida para reflexão e conscientização sobre a importância da Mata Atlântica foi o dia 27 de maio. O motivo? Nesse mesmo dia, em 1560, o Padre Anchieta assinou a Carta de São Vicente. Foi a primeira vez que alguém descreveu a biodiversidade das florestas tropicais nas Américas.

Com informações do Ministério do Meio Ambiente e da Fundação SOS Mata Atlântica

Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura "plenarinho.leg.br - Câmara dos Deputados" e não seja para fins político-partidários

Comente!

Seu endereço de email não vai ser publicado. Campos marcados com * são exigidos