Um deputado mirim pela inclusão

Tiago da Silva Santos participou do Câmara Mirim pela primeira vez neste ano. Bastante atuante nas discussões virtuais, deixou o encontro com uma ideia. Tiago, que sempre sofreu bullying por causa de sua deficiência intelectual, acredita que uma educação realmente inclusiva pode facilitar a vida de pessoas como ele.

“Enfrentei várias barreiras e enfrento até hoje. Antigamente eu achava que não conseguia, mas comecei a olhar para mim e disse: se ninguém acredita em mim, eu vou atrás! Aprendi muita coisa e sempre estou vencendo as barreiras, os preconceitos, hoje nem ligo muito. Estou sempre indo atrás dos meus sonhos”, conta o estudante do oitavo ano do Ensino Fundamental na Escola Estadual Manoel Simplício do Nascimento (Maceió/AL).

O alagoano estudou a vida toda em escolas regulares e defende mudanças para que as instituições realmente atendam e acolham pessoas com deficiência. “Muitas vezes elas cobram demais da gente, nos fazem passar muita vergonha. Vejo colegas que têm problemas mais sérios, eles ficam se achando menor do que os outros. As escolas precisam se desenvolver melhor sobre essa questão, de como melhorar os estudos de acordo com cada dificuldade”, opina.

Projeto de lei

Ao participar do Câmara Mirim, Tiago viu a possibilidade de divulgar suas ideias sobre todas essas questões. Ele pretende apresentar um projeto de lei na próxima edição do evento. Seu PL prevê uma capacitação anual para os professores se atualizarem sobre práticas inclusivas, além da obrigatoriedade de provas adaptadas, professores acompanhantes em sala de aula e reforço escolar semanal. Ele também propõe campanhas de esclarecimento entre os estudantes sobre os diversos tipos de deficiência.

“É importante educar os outros alunos sobre o que é cada doença, ensinar que nem todas são loucuras. Eles confundem muito as doenças com esquizofrenia. Então a escola precisa participar disso, ensinar o que cada doença é, o que ele pode fazer para ajudar, ter também projetos sobre esses assuntos valendo nota para incentivar”, planeja o deputado mirim, que afirma que a legislação atual precisa ser reforçada para sair do papel.

Tiago encara a sua condição “como uma amiga” que o acompanha e o incentiva. “Eu tenho uma deficiência intelectual que afeta muitas coisas na parte de aprendizagem, na parte da escrita. Mas sempre estou pesquisando sobre minha doença, o que eu posso fazer”, diz o estudante, que adora ler, ver filmes, andar de bicicleta, sair e conversar com os colegas, como qualquer outro adolescente. Boa sorte nesta luta, Tiago! Uma educação inclusiva é melhor para todo mundo!

Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura "plenarinho.leg.br - Câmara dos Deputados" e não seja para fins político-partidários

1 Comentário

  • by bruna postado 12/03/2021 18:03

    Você consegue Tiago!…!

Comente!

Seu endereço de email não vai ser publicado. Campos marcados com * são exigidos