Fogos de artifício – lindos, mas perigosos

Ilustração. O cenário é um quarto de criança. No centro da imagem, aparece um menino negro de cabelos cacheados com um cachorrinho marrom claro no colo. Os dois olham com uma expressão de tristeza e medo para a janela, onde aparecem fogos de artifício no céu escuro.

Quando chega o fim do ano, todo mundo fica na expectativa pelas tradicionais queimas de fogos. Mas, para muita gente – e para os bichinhos, também -, estes momentos são um verdadeiro pesadelo.

Conta-se que a tradição de soltar fogos de artifício na passagem do ano começou há muito tempo, na China, como uma forma de espantar espíritos malignos e atrair boa sorte, e que aos poucos se espalhou por todo o mundo.

Mas, não é por que algo é costume ou tradição que é bom para todos, não é verdade? Confira a seguir os problemas causados pelos fogos de artifício a pessoas, bichos e ao meio ambiente:

  • Em pessoas, os fogos podem causar danos tanto a quem os manuseia quanto a quem ouve os barulhos. Quem solta pode ter lesões graves nos ouvidos e olhos, além de queimaduras perigosas. Há quem até perca dedos das mãos nas explosões. Mas os fogos de artifício – especialmente os barulhentos – também causam estresse em crianças pequenas e prejudicam quem já está com a saúde mais debilitada, como idosos e enfermos. E são especialmente ruins para pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA), que costumam ser muito sensíveis a sons altos.
  • em animais, sejam eles de estimação, domésticos ou silvestres, o som alto das explosões pode causar reações fortes de estresse e ansiedade. No desespero de fugir do barulho, eles podem ficar desnorteados, agressivos, se machucar ou fugir para ruas e estradas, correndo o risco de serem atropelados. Podem ainda ter a audição afetada e sofrer ataques cardíacos e convulsões.
  • Até o meio ambiente pode sofrer consequências negativas das queimas de fogos. Além do risco de provocar incêndios, os fogos liberam diversos poluentes para a atmosfera.

Sabendo disso tudo, algumas localidades brasileiras já proibiram fogos de artifício barulhentos. É o caso do Distrito Federal. Desde fevereiro de 2021, só estão permitidos fogos de artifício sem barulho ou com estampido de baixa intensidade.

A Câmara dos Deputados também está de olho nessa questão. Por aqui, está em tramitação o Projeto de Lei 6881/2017, que proíbe o uso de fogos de artifício com estampido.

E você, plenamigo, o que acha dessa tradição? Deixa como está? Ficam só os fogos que fazem menos barulho? Buscam-se soluções mais modernas e tão bonitas quanto, como os shows de laser? Conta aí nos comentários!

Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura "plenarinho.leg.br - Câmara dos Deputados" e não seja para fins político-partidários

Comente!

Seu endereço de email não vai ser publicado. Campos marcados com * são exigidos