Radionovela: Um mundo sem regras

 Nesta aventura, a Turma conhece um planeta em que a regra é não ter regras. Legal, né? Será mesmo? Descubra ouvindo a radionovela Um mundo sem regras.

 

Roteiro:

Narradora: A turma do Plenarinho em: um mundo sem regras! Numa tarde de Sol, a Turma está jogando futebol nos gramados da Esplanada dos Ministérios enquanto Edu narra as jogadas:

Edu Coruja – …E O ZÉ SE PREPARA PRO ATAQUE…LÉGIS PASSA COM TUDO, TOMA A BOLA…ADÃO RECEBE E VAI EM DIREÇÃO AO GOL…CHUTA…

Adão – E É GOOOOL!!! RECEEEEEEBA!!!

Vital – O GOL NÃO VALEU, ADÃO! VOCÊ ESTAVA IMPEDIDO! Você ficou só esperando a bola, né, engraçadinho?!

Adão – O quê? Isso é marcação comigo, Vital! Só porque sou baixinho!

Vital – Regra é regra e vale pra todo mundo! Se fosse com o Zé, o gol também seria anulado.

Adão – Ah, qual é?! A única regra no futebol é: bola na rede é gol!

Narradora – Adão sai chateado e resolve ir para a Nave, deixando os amigos para trás.

Adão – Regras! Regras! Quem precisa delas? O mundo sem regras seria muito melhor!

Narradora – O computador ouve o que Adão estava dizendo e localiza um planeta desconhecido do outro lado da galáxia.

Computador – Mundo sem Regras. Localização: 2394786907

Adão – Caraca!! Deve ser o melhor lugar do universo! E é pra lá que eu vou!

Narradora – Adão liga a nave e se prepara para partir. Enquanto isso, Edu Coruja dá falta do amigo e resolve ir procurá-lo.

Edu Coruja – O Adão saiu no meio do jogo, será que ele está bem? Ué! A nave está partindo! Preciso ver o que é!

Narradora – Edu Coruja consegue entrar na nave antes da porta fechar. Logo depois, ela decola em direção ao Mundo Sem Regras.

Edu Coruja – Ufa! Entrei a tempo! Para onde estamos indo?

Narradora – Adão aterrissa a nave em um planeta em que tudo parece… diferente. Ele vê uma plantação de chinelos e uma mulher limpando a sala de casa que fica… fora de casa?

Adão – Que massa! Aqui ninguém regula ninguém!

Narradora: Ao longe, Adão avista um grupo jogando futebol.

Adão – Opa! Tá até rolando uma partida! Ei, galera, posso jogar?

Menino – Demorou!

Narradora – E então Adão começa a jogar, driblando todo mundo e fazendo vários gols…

Adão – E ele já chega chegando, entortando o zagueiro…é gol! Que lance espetacular, minha gente! Que goleada! Só dá Adão! E a torcida vai à loucuuuura!

Narradora – Mas os jogadores do outro time logo cortam sua onda…

Menino – Não valeu nada! Aqui o gol é chutar pra cima!

Adão – O quê??

Menino – Agora ganha quem faz com a mão!

Galinha estilosa – Ei, você encostou na bola, é p-pênalti!

Adão – Rá! Mesmo com essas regras doidas, meu time venceu!

Menino – Na-na-ni-na-não! Nesse jogo, ganha quem faz menos gols!

Adão – Afff!! É muita maluquice pro meu gosto!

Narradora – Ao deixar o campo de futebol, Adão vê um cachorro de óculos escuros levando seu dono pra passear numa coleira.

Adão – E não só no jogo. Esse planeta todo não tem pé nem cabeça! Uau, que fome!  Acho que vou ver o que tem pra comer naquele tio do carrinho. Moço, o que tem pra comer?

Vendedor – O de sempre: ioiô assado!

Adão – É o quê?!

Narradora – Adão olha pro lado e vê um engarrafamento de… pessoas carregando carros?

Adão – Peraí, não é o carro que leva as pessoas? O que é  isso agora? Chuva de meia?? Que chulé!!! NESSE MUNDO NÃO EXISTE REGRA NENHUMA !!!!

Narradora – Adão sai correndo em direção à nave.

Adão – Eu, hein! Viver sem regras é muito bizarro! Partiu planeta Terra! Por que não tá ligando? Funciona! Funciona!

Edu Coruja – Para onde você nos trouxe???

Adão – AAAAAAAHHHH!!!! Edu! Esse é o mundo sem regras! Aqui cada um faz o que quer e…

Edu Coruja – Não temos tempo, vamos logo para casa! Temos que fazer a nave funcionar! Hum, já que aqui tudo é absurdo, vamos tentar desligar a nave…

Adão – Uuhuuu!!! Deu certo!

Edu Coruja – Uhuu!

Narradora– Todos que estavam jogando bola com o Adão resolvem subir na Nave.

Menino E aí, gente? Pra onde vamos?

Adão e Edu Coruja: AAAAAAAAHH!

Adão – Ei, vocês não podem entrar aqui, a Nave é nossa!

Menino  – Nãããão, a nave é de todo mundo. Acabei de inventar essa regra.

Narradora – De repente, um desconhecido também entra na Nave. É um homem magro com uma barba branca postiça e uma roupa de Papai Noel… amarela?!

Papai Noel amarelo – Ho! Ho! Ho!

Menino – IH! SUJOU, GALERA! PAPAI NOEL NA ÁREA!

Narradora – a galera do futebol foge assustada. O Papai Noel de amarelo agarra Adão pelo braço.

Papai Noel amarelo – Você está preso, pois você é criança e deveria estar trabalhando!

Adão – Mas e a Constituição? E o ECA? E os direitos das crianças?

Papai Noel amarelo – Não sei do que você está falando! Já pra cadeia!!!

Narradora – Papai Noel leva Adão para fora da Nave e Edu Coruja fica para trás, sozinho.

Edu Coruja – Essa não! Preciso avisar a turma!

Narradora – E Edu parte de volta para o planeta Terra.

Narradora – Ao chegar, ele encontra a Turma procurando pelo paradeiro dos dois.

Zé Plenarinho – Edu! Finalmente! A gente estava preocupado com o sumiço de vocês!

Edu Coruja – O Adão se meteu em encrenca num planeta em que ninguém respeita as regras!

Narradora – A turma entra na nave e parte para o planeta sem regras, mas chegando lá, se depara com o Papai Noel amarelo, que joga todo mundo na mesma cela em que tinha prendido Adão.

Papai Noel amarelo – Já pro xadrez vocês também!

Adão – Eita! Vocês também??? E agora, quem poderá nos defender?

Zé Plenarinho – Olha aí no que deu seu piti!

Adão – Lá vem vocês cheio de razão!

Xereta – Adão, aceita que você vacilou, né?

Adão – Tsc! Tá certo, gente, agora eu sei que, sem regras, ninguém se entende…

Xereta – Ah, tá de boa, caçula!

Zé Plenarinho – É, Adão, a gente vai dar um jeito de sair dessa. E sem os superpoderes, já que eles não funcionam aqui…

Cida – Ei, tive uma ideia! Se o Papai Noel é quem dá as cartas aqui, vamos escrever pra ele!

Adão – Essa é a coisa mais maluca que eu já ouvi, mas tá valendo!

Cida – Hum…querido Papai Noel, esse ano eu estudei…

Vital – …brinquei bastante com meus amigos…

Xereta – …protegi a natureza…

Zé Plenarinho – …respeitei meus pais…

Edu Coruja – …e reconheci quando dei mancada! Uh!

Narradora – A Turma termina a carta e Adão chama o Papai Noel, que estava ali perto vigiando os prisioneiros.

Adão -Ei, Papai Noel! Eu tenho uma carta pra você!

Papai Noel amarelo – Vamos ver o que temos aqui…O quêêê??? Guardar brinquedos? Proteger a natureza?? VOCÊ FOI UM MENINO MUITO MAU!!! Parabéns, você merece ser solto! E leve seus amigos com você!

Narradora – A Turma então é liberada da prisão, mas Adão fica sem entender nada…

Adão – Fiz boas ações, ele me achou um mau menino, e ainda assim fui solto. Hããã???

Cida – Ah, relaxa, maninho. O plano deu certo!

Narradora – A turma então embarca de volta pra Terra, consciente da importância das regras, e resolve continuar a partida de futebol…

Edu Coruja – …ADÃO RECEBE E PARTE PRO GOL…

Edu Coruja – …QUE CHUTAÇO, MEU POVO! É GOOOOOOOLL!!!

Adão – Ei! Pode isso, Vital? Eu tava impedido! Você não vai anular meu gol? Regra é regra!!!!

Todos: hahahahaha!

FIM

 

Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura "plenarinho.leg.br - Câmara dos Deputados" e não seja para fins político-partidários

2 Comentário(s)

  • by Rozildes Magela Borges dos Reis postado 25/08/2022 22:49

    muito legal as atividades

    • by Turma do Plenarinho postado 26/08/2022 12:47

      Que bom que você gostou, Rozildes! Abraços da Turma!

Comente!

Seu endereço de email não vai ser publicado. Campos marcados com * são exigidos