Dia da Pátria

Ilustração. Fundo verde, amarelo e azul, intercalados de tiras diagonais brancas. Ao contro, Edu e Vital seguram a bandeira do Brasil. Légis tocar corneta. Ao lado de Légis, Xereta e Cida. Ao lado de Vital, Adão e Zé tocam instrumentos musicais como se estivessem numa banda.

Dia 7 de Setembro é dia dos grandes desfiles militares e de outras manifestações de patriotismo. Foi neste dia, no ano de 1822, que Dom Pedro mudou o rumo da história do Brasil. Vamos relembrar como tudo aconteceu?

Contam os livros de História que o processo da proclamação da independência do Brasil começou com a chegada da Corte Portuguesa ao País. Você lembra o por quê? Os portugueses vieram para o Brasil fugindo da invasão francesa a Portugal. Nesse mesmo ano em que desembarcou no Brasil, Dom João abriu os portos a outros países, que ele considerava “amigos”, criou o Banco do Brasil e o Jardim Botânico. Sete anos depois (1815) aqui já existiam também a Academia Militar, Academia da Marinha, a Biblioteca Real e a Imprensa Régia. Nesse mesmo ano, Dom João dá ao Brasil o título de Reino Unido a Portugal e Algarves. O motivo? Dessa forma, a monarquia portuguesa podia ser representada no Congresso de Viena, na Áustria, onde ocorria a reorganização do mapa político da Europa, depois que o exército russo derrotou Napoleão Bonaparte.

Independência ou morte

Em 1822, coincidentemente mais sete anos depois da chegada da corte portuguesa em terras brasileiras, Dom Pedro, que já não concordava com as decisões do pai para o Brasil, decide desobedecer a Constituição Portuguesa e convoca a primeira Assembléia Constituinte Brasileira. Depois de declarar que as tropas portuguesas que desembarcassem no Brasil seriam consideradas inimigas, o príncipe regente resolve assinar o Manifesto às Nações Amigas, escrito por José Bonifácio, o Patriarca da Independência. O manifesto assinado é a confirmação do rompimento com as cortes constituintes de Lisboa e a independência do Brasil assegurada, “mas como reino irmão de Portugal”. Só que os portugueses não aceitam a convocação da Assembleia Constituinte Brasileira e exigem a volta de Dom Pedro a Portugal.

O príncipe não acata a decisão do parlamento português e acaba proclamando a independência do Brasil no dia 7 de setembro. Assim foi concretizada a separação política entre Brasil e Portugal. Em outubro de 1822, o príncipe é aclamado imperador e, dois meses depois, coroado pelo bispo do Rio de Janeiro, com o título de Dom Pedro I, Imperador do Brasil.


 

Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura "plenarinho.leg.br - Câmara dos Deputados" e não seja para fins político-partidários

Comente!

Seu endereço de email não vai ser publicado. Campos marcados com * são exigidos