Você sabe o tamanho do seu lixo??

O fundo da ilustração é azul. Em pé sobre chão cinza, no centro da imagem, Zé Plenarinho varre lixo para dentro de uma lata de lixo cinza caída.

Você já parou para pensar para onde vão as coisas que você joga na lixeira? E olha que no Brasil, cada um de nós produz 380 quilos de lixo por ano!

Diariamente, são geradas mais de 170 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (tudo que é descartado nas casas e recolhido durante a limpeza das ruas).

Os impactos no meio ambiente são enormes: imagine esse monte de lixo poluindo rios e oceanos, acumulando-se em lixões e entupindo bueiros nas ruas, contribuindo para causar enchentes? Em 2010, cerca de 60 milhões de toneladas de resíduos sólidos urbanos foram produzidos e só metade deles teve a destinação adequada, sendo encaminhados para aterros sanitários ou reciclagem.

Além disso, o prejuízo também é financeiro. O Brasil perde R$8 bilhões a cada ano por não reciclar todos os materiais que poderia. Tá vendo quantos motivos para que o lixo seja tratado com mais responsabilidade? Para resolver esse problema, existe a lei (Lei 12.305/2010) que criou a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS).

Política Nacional para lixo???

Tudo que é fabricado, comprado, consumido e jogado fora passa pela mão de muita gente, certo? É por isso que a responsabilidade pelos resíduos é de todos, e exigiu a criação de uma política nacional para organizar toda essa cadeia. A lei impõe obrigações e metas aos governos, às empresas e aos cidadãos sobre a administração do lixo e dos materiais recicláveis. Logo, todos devem cooperar! Por exemplo, os municípios têm que cumprir duas metas até 2014: acabar com os lixões e implantar a coleta seletiva. E para os aterros sanitários, enviar só os rejeitos, aquilo que não dá mesmo para aproveitar.

Mas você sabia que, no Brasil, só uma média de 13% do nosso lixo é reciclado? A meta estabelecida pela Política é aumentar para 70% esse volume. Para acelerar a reciclagem por aqui, as empresas também têm que contribuir. Os fabricantes de produtos passam a ser responsáveis pelo retorno das embalagens dos produtos que eles vendem, é a chamada “logística reversa”. Para promovê-la, distribuidores e comerciantes têm que investir em artigos recicláveis para que o material retorne ao comércio depois de reciclado. Isso gera menor quantidade de lixo e menos poluição.

E você sabe quem são os principais responsáveis pelo processo de reciclagem no Brasil? Os catadores. No Brasil eles são cerca de 1 milhão, sendo que apenas cerca de 35 mil estão organizados em cooperativas e associações. Se não fossem esses brasileiros, que vivem da coleta de materiais recicláveis, o desperdício seria bem maior.

Eles são tão importantes que um movimento chamado Limpa Brasil organiza voluntários para que em um único dia sejam recolhidos todos os resíduos da cidade e encaminhados para associações de catadores. É uma campanha que vai durar 10 anos, fique atento que ela poderá passar pela pela sua cidade! Mas, infelizmente, grande parte dessas pessoas trabalha em péssimas condições de higiene, saúde e segurança, principalmente quando não estão organizados em associações. E o que ainda é mais triste, essas pessoas têm medo de ficar sem trabalho depois do fim dos lixões. Por isso, um dos focos da PNRS é gerar mais renda, organizar e melhorar as condições de trabalho dessas pessoas, pois o lixo vai sempre existir e nunca vai faltar trabalho para a reciclagem.

Cada um é responsável

Para resolver o problema do lixo, a mudança tem que acontecer agora e continuar no futuro. Para isso, a educação ambiental também é importantíssima! A consciência ao consumir, e a responsabilidade pelo lixo gerado são coisas para aprender desde cedo! A mudança começa por você, plenamigo!

O esforço tem que ser conjunto, e começar em cada casa e em cada comunidade. Já existem iniciativas que estimulam a mudança de comportamento em relação à produção de lixo. Há dicas para o consumo consciente, por exemplo, evitando que as pessoas comprem em excesso coisas desnecessárias. Aí, você pode fazer sua parte também, evitando pedir para os pais comprar brinquedos que em dois dias serão esquecidos no fundo do armário. O consumo feroz é também um dos inimigos do meio ambiente, sabia?

Vamos colocar em prática os 5 Rs: Repensar, Reduzir, Recusar, Reutilizar e Reciclar? Há várias ideias bacanas para reutilizar materiais.

Você pode, por exemplo, seguir essa dica da Ecocâmara e fazer um canteiro bem legal usando pneus velhos. Mas para isso peça a ajuda de um adulto, plenamigo!

A coleta seletiva ainda não acontece em todas as cidades brasileiras, segundo o Ministério do Meio Ambiente. Mas, mesmo que essa prática ainda não aconteça onde você mora, separar o lixo seco do úmido ajuda o catador a recolher mais rápido e de forma mais higiênica os materiais para reciclagem, pense nisso!

Então, organize na sua casa pelo menos dois tipos de lixeiras: um para o lixo orgânico, e outro para o seco, que são papéis, embalagens, etc. Para acompanhar a implantação da Política e trocar informações sobre o assunto, você pode acessar o site Separe o Lixo. É uma boa pesquisar e ver como você também pode contribuir. Uma outra dica é procurar a Secretaria de Meio Ambiente do seu estado ou município, e conhecer projetos que podem ser implantados no seu bairro ou na sua escola. Vamos nessa?

Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura "plenarinho.leg.br - Câmara dos Deputados" e não seja para fins político-partidários

Comente!

Seu endereço de email não vai ser publicado. Campos marcados com * são exigidos