Radionovela Missão Cidadã

Ilustração. O fundo em to de amarelo mostra casas e árvores. No centro, uma pequena escola bege com telhado vermelho e porta marrom. Acima da porta, tem uma placa branca onde está escrito o nome "Escola de Brogotó". Na frente da escola tem uma faixa branca com a palavra "inauguração" escrita em vermelho. Zé plenarinho segura a faixa enquanto um menino ruivo de olhos azuis e camiseta roxo corta a faixa com uma tesoura prateada. A Turma do Plenarinho aplaude e sorri.

No Brasil, o analfabetismo ainda é uma realidade. Nesta radionovela, a Turma tem uma missão: ajudar um amigo que está fora da escola. Confira!

 

Roteiro

Roteiro radionovela missão cidadã

Barulho de crianças

Clara – Vamos galera, tá na hora do nosso jogo!

Guilherme – Ebaaa, dessa vez, a gente ganha, hahahahaha!

Barulho de crianças.

Clara – Estão vendo aquele menino ali, com cara de triste?

Guilherme – Pois é, ele tá sempre sozinho, será que não quer jogar com a gente?

Lucas – Vamos lá perguntar. Ei, menino, qual é o seu nome?

David – É David.

Clara – Você quer jogar com a gente?

David – Claro, ué! Tô louco pra bater uma bola!

Música de futebol, barulho de crianças jogando.

Todas as crianças – Gooooooooooool!

Música de futebol, barulho de crianças jogando.

Todas as crianças – Gooooooooooool!

Lucas – Bom, agora eu vou entrar no jogo, David, é sua vez de anotar o placar.

David – Ah, será que você não pode continuar anotando?

Lucas – Não, agora é minha vez de jogar.

Guilherme – Ei, David, que preguiça é essa???

David – É que eu não sei ainda fazer os números no papel. Nem aprendi a escrever.

Todos juntos – Como não???????

Clara – Ei, David, onde é que você estuda?

David – Na verdade, eu não tô estudando. Lá em Brogotó, de onde eu vim, só tem uma escola e não cabe todo mundo.

Guilherme – Mas isso não pode. Eu ouvi dizer que todas as crianças devem estudar.

Edu coruja – David, se você quiser, eu posso te ajudar.

David – Legal, Edu, só se for agora!

Locutor – Enquanto David começa sua aventura pelo mundo das letras, as outras crianças querem descobrir o que acontece em Brogotó. Elas pegam uma carona e chegam ao vilarejo em poucos minutos.

Clara – Gente, olha só aquela escola caindo aos pedaços.

Guilherme – E a cara dos alunos, que tristeza. Também, nunca vi tanta gente numa sala de aula.

Lucas – Vocês repararam na cara da professora? Que esquisita…

Clara – Gente, eu tô reconhecendo essa fera. É a Analfaberta, a vilã da educação.

Guilherme – Isso mesmo, tudo o que ela quer é espalhar a ignorância por aí. Com uma professora como essas, os alunos sabem cada vez menos.

Clara – E olha só, gente. Ela está conversando com o prefeito da cidade. É isso: eles se uniram para acabar com a educação em Brogotó. Que coisa horrível!

Lucas – Precisamos pegar essa bruxa, vamos lá galera!

Guilherme – Peraí, gente, nós não temos condições de impedir as ações dela sozinhos. Tenho uma ideia: que tal chamarmos a Xereta, da Turma do Plenarinho?

Clara – Boa ideia! Vou ligar pra ela

Barulho de telefone ligando

Clara – Xereta, tudo bom? Aqui é a clara. Estamos precisando da sua ajuda aqui em brogotó…

Xereta – Oi, Clara, me explica direitinho o que está acontecendo…

Clara – Peraí que vou te contar tudinho…

Xereta decide ajudar a turma a derrotar a Analfaberta e rapidamente chega a Brogotó.

Xereta – Oi, meninos, cheguei!

Todos – Oi, Xereta!

Xereta – Vim pelo caminho pensando num plano pra gente conseguir derrotar a Analfaberta e o prefeito, e trazer a educação de volta a Brogotó. O primeiro passo é encontrar o livro das letras apagadas.

Crianças – Livro das letras apagadas??????

Xereta – Isso mesmo. A analfa berta tem o poder de apagar os livros que ela toca. E o primeiro livro apagado é esse, o livro das letras apagadas. É ele que tem o antídoto para derrotar essa bruxa.

Clara – Então vamos até a biblioteca procurar o livro.

Chegando à biblioteca…

Guilherme – Nossa, que biblioteca mais triste. Olha só, os livros estão todos em branco. Claro que ninguém vai querer entrar aqui.

Xereta – Vamos procurar o livro. Ele é com certeza o mais feio e triste de todos. Afinal, foi com ele que essa história de ignorância começou…

Barulho de coisas sendo remexidas!

Xereta – Meninos, olha ali o que eu vi. Só pode ser aquele o livro que estamos procurando

Lucas – Credo, ele é feio e triste demais. Vamos pegar!

Xereta – Agora, vamos atrás da Analfaberta. Ela deve estar na escola aqui ao lado.

Guilherme – (sussurrando) Olha ali, gente, a bruxa tá ali, apagando outros livros.

Xereta – Temos que pegar o lápis no bolso dela e escrever no livro das letras apagadas. Só assim o feitiço vai se desfazer

Lucas – Já que eu sou o menor de todos, vou me arrastar até ela, seguro no pé enquanto vocês pegam o lápis.

Xereta – Tome cuidado, Lucas…

Barulho de briga, gritos, etc

Xereta – Consegui pegar o lápis. Vou escrever no livro as primeiras palavras da nova fase dessa história: a educação liberta!

Barulho de vento, trovões e gritos.

Xereta – Gente, conseguimos derrotar a Analfaberta! Olha só os livros todos preenchidos novamente. A bruxa ficou presa no seu próprio feitiço e tem um livro com a imagem dela na capa. E qual é o nome do livro?

Crianças – a ignorância morreu! (barulho de comemoração)

Locutor – Nessa aventura, as crianças se uniram e venceram a Analfaberta, vilã que espalha a ignorância, infelizmente ainda muito presente no nosso país. Agora, o David  vai poder entrar na escola e abrir as janelas para o mundo, coisa que somente a educação pode fazer.

 

 

 

 

 

Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura "plenarinho.leg.br - Câmara dos Deputados" e não seja para fins político-partidários

3 Comentário(s)

  • by Nathan Denofre da Silva postado 14/08/2020 10:22

    Muito legal a história é curiosa

  • by Nathan Denofre da Silva postado 14/08/2020 10:23

    A história é muito legal e curiosa

    • by Turma do Plenarinho postado 14/08/2020 11:42

      Que bom que você gostou, Nathan! Abraços da Turma!

Comente!

Seu endereço de email não vai ser publicado. Campos marcados com * são exigidos