Vídeo: Diário de uma Trabalhadora Infantil

Desenho simples como o de uma criança. Fundo branco, janela de traços pretos à esquerda. Da janela, pode-se ver o pedaço de um sol em traços pretos que sorri. No centro está Mariinha: uma menina de cabelos pretos, vestido vermelho e expressão de tristeza. Ela segura uma vassoura e , de sua cabeça, saem círculos que formam um balão de pensamento. Dentro do balão, o desenho de uma professora que dá aula para várias crianças.

Acompanhe o dia-a-dia de Mariinha, uma menina que faz todo tipo de serviço doméstico na casa de sua madrinha, em troca de cama e comida. Infelizmente, ela vive uma realidade ainda muito comum no Brasil: o trabalho infantil, que tanto mal causa à infância.

Assista, abaixo, à versão simples e à versão com Linguagem Brasileira de Sinais (Libras). Ao final, também é possível ler o roteiro.

Animação com libras

Roteiro

Mariinha registra em seu diário a rotina pesada que enfrenta na casa de sua madrinha.
No domingo, ainda está escuro. São 5 horas da manhã, e o despertador toca. Marinha acorda sonolenta:
– Ahh, a semana foi tão pesada, lá vou eu de novo, e o pior é que hoje é domingo. Nossa! Tenho tanta coisa pra fazer que tive que acordar cedinho pra dar conta de tudo.
A menina mostra a lista de tudo o que precisa fazer.
– Querem ver o que eu tenho que fazer hoje? Compras no supermercado, almoço e ainda passar a roupa.
Com muita tristeza, Mariinha abraça uma boneca.
– Não vou poder fazer o que mais gosto, que é brincar com a minha bonequinha.
Na segunda, Mariinha acorda novamente às 5 horas.
– Mais um dia que acordo no escuro… Eu detesto acordar quando ainda está escuro lá fora. Será que hoje vou poder ir para a escola?
Mariinha segura seu caderno. A Madrinha da garota diz, do lado de fora da porta do quarto:
– Mariinha, hoje não dá! Você tem muito o que fazer! Se tivesse feito ontem, estaria livre hoje.
Mariinha senta-se na cama, pensa em tudo o que fez (faxina, cuidados com o bebê) e pensa:
– Ontem era domingo, e já fiz um monte de coisa… Será que pra mim todo dia é de trabalho?
Lá fora, na rua, a Turma do Plenarinho joga futebol. Pela janela, Xereta vê Mariinha e convida:
– Ei menina! Você quer brincar?
A Madrinha ouve e, antes que Mariinha possa dizer qualquer coisa, ameaça:
– Se enrolar, amanhã fica sem aula de novo!
Mariinha conta:
– Lá fui eu dar banho no bebê.
Na terça-feira, Mariinha finalmente consegue ir à escola. No início, ela se sente o máximo, como se fosse uma super-heroína, com capa e tudo.
– Hoje foi um dia massa! Consegui finalmente ir pra escola! E me senti muito feliz.
Mariinha chega à escola. Na sala, a Professora Josefa inicia a aula. A menina não consegue acompanhar a lição, e sente como se duas orelhas de burro surgissem em sua cabeça.
– Puxa, não tô entendendo nada que a professora tá explicando. Também, tô faltando tanta aula…
Ela relembra o quanto gostaria de estar na escola enquanto estava trabalhando.
– A professora nem faz ideia que eu não falto por malandragem. Se ela soubesse o quanto eu tenho que trabalhar…
É quarta-feira, e Mariinha vai à escola novamente.
Que bom, hoje consegui vir pra escola de novo! E dessa vez consegui até brincar com a xereta e a turma dela no recreio, foi muito legal!
Mariinha e a Turma do Plenarinho jogam futebol na escola.
– A Xereta me chamou pra brincar à tarde, mas nem pude, porque tinha umas roupas sujas pra lavar.
Muitas roupas sujas aparecem.
– A madrinha me mata se eu deixar uma manchinha sequer nas roupas!
Mariinha pensa na prova que vai ter no dia seguinte e boceja, exausta.
– Amanhã tem prova, mas tô tão cansada que não consegui estudar…
No dia seguinte, quinta, Mariinha chora ao ver que foi mal na prova.
-Tô tão triste, me dei muito mal na prova. Não tive tempo pra estudar…
Xereta se aproxima e pergunta:
– Mariinha, porque você sempre está cansada?
A menina responde, imaginando a Madrinha como uma bruxa malvada:
– Não conta pra ninguém, porque a bruxa má da minha madrinha disse pra eu não ficar espalhando.
Ela relembra todas as tarefas que precisava fazer, com a sombra da Madrinha por trás, ameaçando com um chinelo.
– Eu fico cansada e chorando porque passo o dia inteiro trabalhando e nem consigo ver minha mãe há meses.
Chega a sexta-feira.
Mariinha conversa com a diretora da escola e conta:
– A diretora veio falar comigo. Ela me disse que já sabia o que está acontecendo, que tava tudo errado e que eu não podia trabalhar.
Todas as tarefas que Mariinha precisava fazer aparecem com um “x”.
– Ela disse que iria falar com o conselho tutelar e não me deixar mais trabalhar. Ela também me ajudou a me encontrar com a minha mãe, fiquei tão feliz! A madrinha é que não ficou nada contente com isso tudo
Mariinha abraça sua mãe.
No sábado, Mariinha brinca de pique-esconde no parque, com a Turma do Plenarinho.
– Descobri que foi a Xereta que contou pra diretora, ela fez isso para o meu bem. Agora eu posso brincar a valer com a turma. Posso brincar todos os dias! Uhuuuuuu!

 

 

Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura "plenarinho.leg.br - Câmara dos Deputados" e não seja para fins político-partidários

Comente!

Seu endereço de email não vai ser publicado. Campos marcados com * são exigidos