Cecília Meireles: poesia para crianças e adultos

Cecília Meireles foi uma grande escritora, uma das maiores do Brasil. Tinha um carinho todo especial pelas crianças, mas também se dedicou a escrever poemas para os adultos.

Poesia Ou Isto ou Aquilo

Ou se tem chuva e não se tem sol
ou se tem sol e não se tem chuva!
Ou se calça a luva e não se põe o anel,
ou se põe o anel e não se calça a luva!
Quem sobe nos ares não fica no chão,
quem fica no chão não sobe nos ares.
É uma grande pena que não se possa
estar ao mesmo tempo em dois lugares!
Ou guardo o dinheiro e não compro o doce,
ou compro o doce e gasto o dinheiro.
Ou isto ou aquilo: ou isto ou aquilo …
e vivo escolhendo o dia inteiro!
Não sei se brinco, não sei se estudo,
se saio correndo ou fico tranqüilo.
Mas não consegui entender ainda
qual é melhor: se é isto ou aquilo.

O poema acima faz parte do grande número de obras que Cecília Meireles deixou. Ela é considerada a principal poetisa do século 20. Foi Cecília que fundou a primeira biblioteca infantil do Brasil e publicou poemas inesquecíveis para crianças, como O mosquito escreve e Colar de Carolina. Os versos de Cecília conseguem despertar nas crianças o interesse pela poesia e também encantam os marmanjos que já são apaixonados pela boa literatura.

Uma infância solitária

Ela nasceu no Rio de Janeiro, em 7 de novembro de 1901. O começo de sua vida foi marcado por tragédias: o pai morreu antes do seu nascimento; a mãe, quando ela tinha três anos. Os três irmãos também faleceram. Por isso, foi criada sozinha, pela avó materna.

Na infância, sentia-se muito só. As crianças a chamavam para brincar, mas a avó nunca deixava, tinha medo que sua menina adoecesse.

Cecília era estudiosa e adorava ler. Aos nove anos, escreveu seus primeiros versos. Interessou-se também pela música e começou a aprender canto, violão e violino.

De professora a escritora

Aos 16 anos, formou-se professora. Lançou seu primeiro livro, chamado Espectros, com 18 anos.

Ao longo de sua caminhada de poetisa, jornalista, cronista e contadora de histórias, Cecília Meireles dedicou-se à educação, estudou o folclore, comandou um programa sobre literatura no rádio, viajou pelo mundo e lançou dezenas de livros. Em 1934, realizou um sonho: fundou a primeira biblioteca infantil do Brasil, no pavilhão Mourisco, em Botafogo, no Rio de Janeiro.

Ela faleceu no Rio de Janeiro em 9 de novembro de 1964, deixando três filhas e um legado inestimável para a literatura brasileira.

Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura "plenarinho.leg.br - Câmara dos Deputados" e não seja para fins político-partidários

3 Comentário(s)

  • by keuh postado 17/05/2018 16:09

    bom bom bom …..

  • by regina postado 11/06/2018 21:54

    Sou admiradora da pessoa e obra de Cecília Meireles.Foi uma grande escritora,realmente.

    • by Turma do Plenarinho postado 20/06/2018 13:33

      Concordamos, Regina. Uma escritora incrível.

Comente!

Deixe uma resposta para regina Cancelar resposta

Seu endereço de email não vai ser publicado. Campos marcados com * são exigidos