A conquista do voto feminino no Brasil

Ilustração. Fundo roxo. No centro da imagem está uma urna eletrônica. Ana légis sorri e aperta um dos botões. Xereta Sorri animada com os dois olhos fechados. Cida está do lado de Xereta e levanta um dos braços, segura um papel branco e sorri.

Hoje o voto é um direito de brasileiros e brasileiras. Mas, para conseguirem conquistar esse direito, as mulheres tiveram de lutar – e muito! Até a década de 30, somente os homens podiam escolher seus governantes no País. 

Só em 24 de fevereiro de 1932, o voto feminino no Brasil foi conquistado, após uma campanha nacional que estendia o direito às mulheres. E nem eram todas as mulheres que podiam votar, somente as casadas (com permissão dos maridos), as viúvas e as solteiras que tivessem seu próprio dinheiro! Em 1934, após grande pressão popular, o presidente Getúlio Vargas tirou essas restrições do Código Eleitoral. Mas a obrigatoriedade do voto às mulheres só se concretizou oficialmente em 1946.

A conquista do voto feminino no Brasil

Em 1910, a professora Deolinda Daltro criou o Partido Feminino Republicano e promoveu, anos depois, uma passeata com cerca de 100 mulheres pelo direito ao voto.

Em 1919, Bertha Maria Júlia Lutz fundou a Liga para a Emancipação Internacional da Mulher, que tinha como principal objetivo a igualdade política das mulheres. Grande parte dos historiadores considera justamente Bertha Lutz como a maior líder na luta pelos direitos políticos das brasileiras.

No ano de 1922, surgiu a Federação Brasileira pelo Progresso Feminino. No mesmo ano, Bertha Luz representou as brasileiras na assembleia-geral da Liga das Mulheres Eleitoras, nos Estados Unidos.

Em 25 de outubro de 1927, Juvenal Lamartine, presidente da Província do Rio Grande do Norte (cargo que hoje equivale ao do governador do Estado do RN), aprovou uma lei que reconhecia o direito das mulheres potiguares de votar e serem votadas.

Somente dez anos depois do ingresso das brasileiras na Liga das Mulheres Eleitoras, em 1932, o voto feminino foi garantido.

No mundo

Bertha Lutz foi muito influenciada pelo que acontecia na Europa, já que estudou na França. Foi com o final da I Guerra Mundial, em 1918, que o voto feminino foi conquistado por lá. Mas antes disso, já havia outras mulheres eleitoras mundo afora! O primeiro país da Europa a conseguir esse direito foi a Finlândia, em 1906. Mas antes dela, a Nova Zelândia, em 1893, e a Austrália, em 1902, já haviam conquistado esse direito.

Você sabia?

Hoje em dia, a legislação eleitoral do Brasil garante aos homens e às mulheres direitos equivalentes. A lei determina que os partidos políticos apresentem no mínimo 30% de candidatas mulheres em sua chapa. Pelo que percebemos no dia a dia, cada vez mais, a participação política das mulheres aumenta no País.

Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura "plenarinho.leg.br - Câmara dos Deputados" e não seja para fins político-partidários

Comente!

Seu endereço de email não vai ser publicado. Campos marcados com * são exigidos