Nísia Floresta: uma mulher além de seu tempo

Nísia Floresta é considerada a primeira brasileira a se manifestar pela emancipação das mulheres.

Dionísia Gonçalves Pinto nasceu em 12 de outubro de 1810, na cidade de Papari-RN. Mulher de pensamento e comportamentos autênticos muito além de seu tempo, ela ficou conhecida com o pseudônimo de Nísia Floresta Brasileira Augusta.

Poetisa e escritora, Nísia publicou, aos 22 anos de idade, “Direitos das mulheres e injustiça dos homens”, em que trata da realidade da mulher brasileira. A obra inspira-se no livro de Mary Wollstonecraft, conhecido como um dos primeiros manifestos feministas do mundo.

Educação em primeiro lugar

Para Nísia, a educação era o primeiro passo para emancipação da mulher. Pioneira na luta pela alfabetização das meninas e jovens, fundou uma escola inovadora na cidade do Rio de Janeiro, marco na história da educação feminina no Brasil. Também foi uma das primeiras mulheres a publicar artigos em jornais de grande circulação.

Nísia Floresta já considerava que a ideia de superioridade masculina possuía um vínculo com a educação e as conjunturas da vida. Compreendia também que as diferenças entre os sexos são construções sociais e que não justificam a desigualdade.

Militante pelos direitos das mulheres não limitou suas ações a essa questão. Envolveu-se na defesa dos índios e também nas discussões sobre a escravidão. Apoiou o movimento abolicionista e republicano.

Morreu em Rouen, na França, em 24 de abril de 1885.

Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura "plenarinho.leg.br - Câmara dos Deputados" e não seja para fins político-partidários

Comente!

Seu endereço de email não vai ser publicado. Campos marcados com * são exigidos