Zilda Arns

Zilda Arns era médica pediatra e fez trabalhos sociais importantes na divulgação dos direitos das crianças e no combate à desnutrição e à mortalidade infantil. O que mais gostava era de trabalhar pelas crianças.
Em 1983, Zilda criou e passou a coordenar a Pastoral da Criança, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).
De acordo com a Agência de Notícias dos Direitos da Infância – Andi, o trabalho realizado por Zilda Arns ajudou no combate à mortalidade infantil. Segundo o Ministério da Saúde, a parceria com a Pastoral da Criança ajudou 1,9 milhão de gestantes e crianças menores de seis anos, em 4.063 municípios brasileiros, entre 2008 e 2010.
Ela ganhou vários prêmios por sua atuação na área social. Em 2001, foi uma das indicadas ao Prêmio Nobel da Paz. E em 2002, foi declarada Heroína da Saúde Pública das Américas, título concedido pela Organização Pan-Americana de Saúde (Opas).
Em 2008, Zilda assumiu a direção da Pastoral Internacional da Criança. Também fundou e coordenou a Pastoral da Pessoa Idosa. O seu trabalho espalhou-se por vários países, especialmente na África, América do Sul e Ásia, em benefício da população mais fragilizada pela pobreza.
Zilda Arns morreu no dia 12 de janeiro de 2010, no Haiti, país que sofreu um grande terremoto. Ela estava em Porto Príncipe, em missão humanitária, para introduzir a Pastoral da Criança naquele país.
(Com informações da ANDI, G1, Pastoral da Criança e ONU)

Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura "plenarinho.leg.br - Câmara dos Deputados" e não seja para fins político-partidários

Comente!

Seu endereço de email não vai ser publicado. Campos marcados com * são exigidos