O Brasil nos jogos paradesportivos

Ilustração. O fundo mostra uma pista de atletismo. Na frente da imagem, três meninos sentados em cadeiras de rodas. No centro, vital com a medalha de ouro no peito sorri. à esquerda da imagem, um menino negro aparece com a medalha de prata e aplaude Vital. À direita, um menino loiro com a medalha de bronze no peito sorri para vital e faz um gesto positivo com uma das mãos.

Seja nas Paraolimpíadas ou no Parapan-Americano, o Brasil é ouro!  Realizados pelo primeira vez no ano de 1960, na cidade de Roma, esses jogos são a versão adaptada das competições para atletas com deficiências físicas, visuais ou mentais. 

Considerado o pai dos Jogos Paraolímpicos, o neurologista Sir Ludwig “Poppa” Guttmann, nascido na cidade de Toszek quando ainda era na Alemanha (hoje faz parte da Polônia), fugiu da  perseguição aos judeus e foi para a Inglaterra. Em 1948, quatro anos depois de lá chegar, ele decidiu organizar competições para os veteranos da II Guerra Mundial que tinham sofrido lesões na medula. Sua iniciativa foi tão bem sucedida que a competição acabou sendo mundial, seguindo o modelo das Olimpíadas.

Em 1972, foi a vez de o Brasil participar pela primeira vez de uma paraolimpíada, em Heidelberg, na Alemanha. Com 20 atletas, todos homens, disputou em quatro modalidades – tiro com arco, atletismo, natação e basquete com cadeira de rodas, mas não conseguiu nenhuma medalha. Em 1976, em Toronto, no Canadá,  Robson Sampaio de Almeida e Luiz Carlos representaram o País no pódio. Ganharam medalha de prata no Lawn Bowls, uma espécie de bocha na grama.

Robson, aliás, foi o pioneiro do movimento paralímpico no Brasil. Em 1958, junto com Aldo Miccolis, trouxe o esporte para o País, como meio de reabilitação.

Quadro de medalhas

Nas Jogos Paraolímpicos de 2016, o Brasil ficou em 8º lugar, com 72 medalhas. Mas foi no Parapan de 2019 que nossos atletas arrasaram e lideraram o quadro de medalhas, chegando a 308, sendo 124 delas de ouro – um recorde! Todas estas vitórias fizeram destes atletas referências nos esportes paralímpicos.

Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura "plenarinho.leg.br - Câmara dos Deputados" e não seja para fins político-partidários

1 Comentário

  • by ARIOVALDO APARECIDO FERREIRA LIMA postado 29/09/2019 21:49

    Todo esporte necessita de regras , sendo assim sem elas não seria possível a prática do mesmo , o esporte Paraolímpico do Brasil vem se destacando no cenário mundial graças ao incentivo de muitas empresas que acredita no esporte, todos hoje podem praticar esporte.

Comente!

Seu endereço de email não vai ser publicado. Campos marcados com * são exigidos