Malala é Nobel da Paz lutando pela educação

Malala tem pelo morena, cabelos negros partido de lado. Usa lenço vermelho que cobre seus cabelos e ombros. Ao fundo, no canto direito, vemos a imagem de uma mesquita

Se você acha que tem que esperar virar um adulto para tomar atitudes que fazem a diferença, inspire-se com a história de Malala Yousafzay.
Essa paquistanesa de apenas 17 anos acabou de ser agraciada com o Prêmio Nobel da Paz. É a maior honra receber esse prêmio. Quer saber por que ela ganhou?

Malala nasceu no Paquistão, país dominado pelos talibãs, um movimento fundamentalista islâmico radical, que, entre outras ações, proíbe direitos básicos às mulheres, como atendimento médico e o direito de andar nas ruas desacompanhadas. Além disso, as mulheres paquistanesas foram gradativamente impedidas de trabalhar e de estudar.

Malala tinha 11 anos quando o talibã impediu as meninas de frequentar escola. Ela, que amava estudar, não se conformou. Como o pai dela era dono de escola e também defendia a educação de meninas, Malala continuou estudando e começou a escrever um blog, utilizando um pseudônimo, detalhando sua vida sob o regime do Talibã. Ela foi ficando famosa e até um documentário do The New York Times foi filmado sobre a vida dela.

Mas em 9 de outubro de 2012, a luta de Malala pelo direito de estudar levou um golpe violento. Ela foi baleada pelos talibãs no ônibus escolar. Ela correu sério risco de morrer, foi enviada para a Inglaterra, onde foi tratada e sobreviveu.

Ela passou a viver na Inglaterra, mas não abandonou sua causa. “Vou ser política no futuro. Quero mudar o futuro do meu país e quero que a educação seja obrigatória”, disse a jovem.

Malala chegou a fazer um belo discurso no auditório das Nações Unidas (ONU), onde foi aplaudida de pé pelos representantes de vários países do mundo. Sobre o talibã, ela disse: “eles pensaram que a bala iria nos silenciar, mas eles falharam”. No final, proferiu uma belíssima frase:

“Nossos livros e nossos lápis são nossas melhores armas. A educação é a única solução, a educação em primeiro lugar”.

O resultado do prêmio foi anunciado hoje, 10 de outubro. Malala é a mais jovem ganhadora do prêmio em 112 anos de história e ela dividirá o prêmio com o indiano Kailash Satyarthi.

Será que a história de Malala inspirou você?

(matéria originalmente publicada em 10/10/2014)

Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura "plenarinho.leg.br - Câmara dos Deputados" e não seja para fins político-partidários

Comente!

Seu endereço de email não vai ser publicado. Campos marcados com * são exigidos