O que é cidadania digital

Ilustração. Fundo azul. Computadores, tablets, celulares, cada um com um personagem da turma aparecem interligados por uma linha azul. Espalhados pela imagem estão ícones das redes sociais: Facebook, Whatsapp, Instagram e Twitter.

Quando estamos diante das telas dos celulares ou computadores, temos a sensação de que estamos sozinhos. E mais: de que ninguém percebe o que fazemos ou deixamos de fazer. Mas não podíamos estar mais enganados.

Na internet, somos quase 4 bilhões de pessoas conectadas e compartilhando informações em forma de textos, emojis, memes, fotos, vídeos e sons. Para você ter uma ideia, 83% dos estudantes das escolas urbanas têm acesso à internet – e, desse total, 93% já usou a rede para fazer pesquisas escolares (dados da pesquisa TIC Educação 2019).

Se somos tantos interligados, também precisamos de normas para nos relacionarmos, como acontece no mundo físico, certo? E isso é tão importante que recebeu um nome especial: cidadania digital.

Anote aí: cidadania digital é o conjunto de normas que devemos seguir para utilizarmos a internet com consciência, responsabilidade, ética e segurança. Como cidadãos digitais, temos direitos – como o direito à privacidade, à segurança dos nossos dados, à autoria das criações que divulgamos. Da mesma forma, temos deveres: o dever de agir de forma educada com as outras pessoas, de não expô-las ao ridículo ou ao ataque de outros internautas, de respeitar seus direitos autorais, de não compartilhar notícias falsas, entre outros.

A cidadania digital compreende temas bem importantes. Vamos conhecer alguns deles?

Segurança digital

O bom cidadão digital precisa saber proteger os seus dados. É necessário aprender a criar senhas fortes (aquelas bem difíceis de descobrir) e a guardá-las de maneira segura. Senha com a data de aniversário? Nem pensar!

Outra medida importante é saber reconhecer e-mails mal intencionados, sites falsos e outras formas de golpe na internet. Elas costumam ser portas de entrada para vírus de computador e celular: basta um clique para contaminar o seu equipamento e roubar seus dados pessoais. Ah, claro, ter um bom antivírus também ajuda muito!

Por fim, é muito importante lembrar: não é por que você sabe tudo sobre novas tecnologias que está imune a golpistas e abusadores na internet! Proteja-se sempre!

Privacidade

A internet foi feita para compartilhar informações, certo? Mas é preciso se ligar e não tornar público o que só diz respeito a você. Divulgar endereço, e-mail, telefone, dados de familiares, fotos com roupas íntimas ou as suas rotinas pode expor você a pessoas mal intencionadas, que podem usar essas informações para praticar crimes contra você e a sua família. Escolha muito bem o que vai divulgar.

E lembre-se: as redes sociais oferecem mecanismos de privacidade que podem ser configurados de acordo com as suas preferências. Descubra como usá-los!

Direitos autorais

“Caiu na rede, é peixe” – já ouviu esse dito popular? Pois saiba que ele não se aplica à internet. Por mais que os mecanismos de busca consigam encontrar milhares de imagens e textos em milésimos de segundo, isso não quer dizer que está tudo bem usá-los na sua página pessoal ou no trabalho da escola e dizer que foi você que os criou. O contrário também é verdadeiro: ninguém pode pegar uma criação sua e dizer que é o autor. Direito autoral é coisa séria!

Ética e respeito

Embora a gente às vezes sinta que está falando sozinho quando emite uma opinião na internet, isso é uma ilusão: há muita gente ouvindo. Está certo sair pela rua ofendendo desconhecidos? Esquecer de falar bom dia, por favor, obrigado, quando lida com as outras pessoas? Ridicularizar os colegas da escola? Não, né?

Então, se ligue: as regras de boa convivência e de respeito ao próximo usadas no mundo físico se aplicam ao mundo virtual. Nunca se esqueça de que há pessoas de carne e osso, como você, recebendo a sua mensagem.

Responsabilidade na divulgação de informações

Há alguns anos, as fake news – notícias falsas divulgadas pela internet – entraram em evidência. Criadas para confundir as pessoas, elas podem gerar desde um simples burburinho até a destruição da reputação de alguém. Por isso, todo bom cidadão digital precisa zelar pela veracidade das informações que divulga entre os seus contatos. Tem dificuldade de identificar notícias falsas? A Turma do Plenarinho pode ajudá-lo.

Ciberativismo

Como no mundo real, na internet, todos têm o direito de se posicionar em relação às causas que julgam relevantes. Esse uso da rede para declarar ideias e promover mobilizações tem um nome especial: ciberativismo, ou ativismo digital.

Há muitas maneiras de ser um ativista digital: você pode escrever manifestos, publicar vídeos ou podcasts, fazer doações, usar hashtags nos seus posts, assinar petições, trocar informações sobre mobilizações, entre outros. O importante é estar bem informado sobre as causas que pretende defender e fazê-lo com responsabilidade, ética e respeito.

Saúde e bem-estar

Internet é mesmo um ambiente envolvente. Também, pudera – nela, a gente pode conversar com os amigos, fazer pesquisas, jogar, assistir a vídeos, ouvir nossa banda preferida… mas lembre-se: sua vida vai muito além de uma telinha.

Ficar muito tempo conectado pode gerar dificuldade de concentração, insônia e irritabilidade. Pescoço, braços e mãos podem ficar muito doloridos – você pode até parar no hospital por causa disso! Os olhos também sofrem, ficando vermelhos e ressecados por falta de piscar. Além disso, seu corpo precisa de sol e atividade física para funcionar bem!

E aí, pronto para exercer a sua cidadania digital? Então, bora fazer desse mundão virtual um espaço de convivência melhor para todos nós!

Com informações da Revista Nova Escola, da Fundação Telefônica Vivo, do Guia do Estudante e do site Global Citizenship.

Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura "plenarinho.leg.br - Câmara dos Deputados" e não seja para fins político-partidários

2 Comentário(s)

  • by Tainá Monteiro da Silva postado 08/08/2020 22:08

    As pessoas quando fica no celular ou no computador está no mundo do celular ficar no celular muito tempo faz as vistas doendo isso faz muito mal para você…

    • by Turma do Plenarinho postado 10/08/2020 11:15

      É verdade, Tainá! A internet oferece muitas possibilidades de aprender coisas novas, mas é preciso usar com responsabilidade, ética e consciência… e saber a hora de se desconetar também! Abraços da Turma!

Comente!

Seu endereço de email não vai ser publicado. Campos marcados com * são exigidos