Ruth Rocha

A autora de Marcelo, Marmelo, Martelo, que apresentou a gerações de brasileirinhos o prazer de ler, foi, ela mesma, uma apaixonada por livros.

Ruth Machado Lousada Rocha ou, simplesmente, Ruth Rocha, nasceu em São Paulo/SP no dia 2 de março de 1931. Seu encontro definitivo com a literatura, ainda criança, foi com as histórias de Monteiro Lobato. Na adolescência, devorava as obras de mestres como Machado de Assis, Manuel Bandeira, Fernando Pessoa e Guimarães Rosa.

De leitora a escritora, foi um pulo, certo? Não foi bem assim. Ruth primeiro formou-se em Ciências Políticas e Sociais, com pós-graduação em Orientação Educacional. Entre 1956 e 1972, trabalhou como orientadora educacional no Colégio Rio Branco.

Foi nessa época – mais precisamente, em 1968 – que ela começou a escrever sobre educação para a revista Cláudia, da Editora Abril. Logo foi convidada a colaborar também com a revista Recreio, da mesma editora, voltada ao público infantojuvenil. Foi lá que ela publicou suas primeiras histórias para crianças.

Em 1973, Ruth Rocha assumiu a direção editorial da Divisão Infantojuvenil da Abril. Três anos depois, lançou seu primeiro livro: Palavras, Muitas Palavras. Ainda em 1976, publicou seu grande sucesso: Marcelo, Marmelo, Martelo e Outras Histórias, que teve mais de 70 edições e vendeu mais de 20 milhões de exemplares.

Uma autora revolucionária

Num tempo em que as histórias infantis eram povoadas por mocinhos e vilões, com finais em que o bem triunfava e o mal era punido de forma exemplar, Ruth fez uma verdadeira revolução. Suas obras contavam a vida de gente como a gente, com virtudes e defeitos. Os finais não impunham uma moral, mas convidavam à reflexão e ao pensamento crítico. Além disso, com suas histórias sobre reizinhos, ela criticou corajosamente o autoritarismo, em plena ditadura.

Defensora dos direitos das crianças, Ruth Rocha escreveu, em parceria com Otávio Roth, a Declaração Universal dos Direitos Humanos Para Crianças, lançada na sede da Organização das Nações Unidas em Nova Iorque, em 1988.

Uma carreira longa e bem sucedida

Em mais de 50 anos de carreira, Ruth teve mais de duzentos títulos publicados e já foi traduzida para vinte e cinco idiomas. Também assinou a tradução de uma centena de títulos infantojuvenis e foi co-autora de vários livros didáticos.

Recebeu prêmios da Academia Brasileira de Letras, da Associação Paulista dos Críticos de Arte, da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil, além do prêmio Santista (da Fundação Bunge), o prêmio de Cultura da Fundação Conrad Wessel, a Comenda da Ordem do Mérito Cultural e oito prêmios Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro.

Está achando que ela pensa em parar e curtir uma merecida aposentadoria? Que nada! Em 2020, Ruth lançou, em parceria com a filha Mariana Rocha, o Almanaque do Marcelo – e da Turma da Nossa Rua. E tem mais projeto em andamento: um livro sobre a evolução das espécies e a adaptação de Marcelo, Marmelo, Martelo para o formato audiovisual.

Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura "plenarinho.leg.br - Câmara dos Deputados" e não seja para fins político-partidários

2 Comentário(s)

  • by Maria Lyris Cardoso Araújo postado 26/04/2021 11:10

    Eu achei bom

    • by Turma do Plenarinho postado 26/04/2021 11:14

      Que legal, Maria Lyris! A gente adora Ruth Rocha! Nosso livro preferido dela é Marcelo, Marmelo, Martelo. E o seu? Abraços da Turma!

Comente!

Seu endereço de email não vai ser publicado. Campos marcados com * são exigidos