Vou voltar à escola! E agora?

Em muitas cidades brasileiras, as secretarias de educação começam a planejar o retorno às aulas presenciais. No entanto, o risco representado pela pandemia ainda é muito significativo.

Se você vai voltar a frequentar a escola em breve, fique de olho nas nossas dicas para proteger a si mesmo e a todos à sua volta.

Ah, é bom lembrar que essas orientações valem não só para o ambiente escolar, mas para todos os lugares em que você precisar ir.

Quando não ir à escola

Se alguma condição de saúde faz com que você seja do grupo de risco, ou se estiver com alguma doença, mesmo que não tenha nada a ver com COVID-19, é melhor continuar em casa, frequentando as aulas virtualmente.

Se você estiver com sintomas de resfriado – nariz entupido, espirros, tosse, dificuldade de respirar -, febre, diarreia, ou se não estiver sentindo gostos ou cheiros, informe aos seus responsáveis e fique em casa. Se sentir que os sintomas estão demorando a passar ou que estão piorando, peça para ir ao médico.

Se você ou alguém da sua família tiver testado positivo para o SARS-CoV-2, a escola deve ser comunicada. Para poder retornar às aulas presenciais, verifique com a Direção da escola se é necessário apresentar teste negativo ou se basta estar assintomático e ter permanecido em casa por 14 dias, a contar do primeiro dia do surgimento dos sintomas.

Mantenha distância!

Quem não está morrendo de saudades dos amigos? Mas aguente firme – não é hora de abraços, beijos, cumprimentos com as mãos.

Mantenha o distanciamento recomendado pelas autoridades de saúde da sua cidade sempre que possível. Isso vale para sala de aula, laboratório, biblioteca, corredores, quadra esportiva, vestiário, banheiro, cantina, portão… enfim, em todo canto da escola. Até mesmo no transporte escolar ou público. Siga as sinalizações de distância no chão, se houver.

Respeite os horários de entrada, saída, intervalos e recreio definidos pela sua escola. O objetivo é evitar que grupos de alunos fiquem mais próximos do que o recomendado neste momento.

Na hora da saída, espere pelo transporte escolar ou por seus responsáveis no local definido pela escola – nada de aglomeração no portão!

As máscaras (não) vão cair

Use máscara cobrindo a boca e o nariz o tempo todo que estiver fora da sua casa – inclusive no transporte público ou escolar. Tirar na escola? Só se for para trocar por outra máscara novinha.

Falando em trocar a máscara, lembre-se: é necessário fazê-lo a cada duas a quatro horas, ou antes, se ela estiver suja, úmida ou rasgada.

Mas como beber água ou comer o lanche de máscara? Não dá, né. Nesse caso, o ideal é que você tenha uma máscara nova e limpa para trocar. Você remove a que está usando sem tocar no tecido, só no elástico, e guarda na mochila. Terminou de comer e beber? Higienize as mãos com álcool em gel e coloque a máscara nova.

Ih, não tem máscara? O Plenarinho ensina a improvisar uma.

Higiene é fundamental

Evite tocar nos olhos, no nariz ou na boca, mesmo de máscara. É difícil, mas muito necessário.

Higienizar as mãos deve ser um cuidado constante. Faça-o quando entrar e sair do transporte escolar, da escola, da sala de aula, da biblioteca, do laboratório, do banheiro, da cantina.

Você pode lavar as mãos com água e sabão, secando-as com papel toalha, ou usar álcool em gel a 70%. Veja aqui como lavar as mãos direitinho!

Se tiver vontade de tossir e espirrar, faça-o no lenço de papel descartável (nada de lenço de pano!) ou no antebraço, mesmo de máscara;

Não use o bebedouro da escola. Traga de casa a sua garrafa de água.

Seja cuidadoso com o seu material escolar para evitar pegar alguma coisa emprestada.

Ah, mas….

Ah, mas precisa de tanto rigor assim? Precisa. Até que haja uma vacina aprovada para a Covid-19 e que toda a população seja imunizada, todo cuidado é pouco.

Ah, mas eu tenho que desconfiar até dos meus melhores amigos? Não encare isso como falta de confiança, mas como um cuidado a mais que você está dedicando aos seus amigos. Quando você mantém o distanciamento social, protege a si mesmo e aos outros – vai que, de alguma forma, você se contaminou e está sem sintomas.

Ah, mas depois da aula, vale um rolê por aí? Ainda não! É difícil, mas tenha paciência. Só circule fora de casa se for realmente necessário.

Ah, mas eu só quero estudar com a minha amiga. Até dá, mas a distância, usando algum aplicativo de videoconferência. O mesmo vale para qualquer tipo de evento que reúna a galera, dentro ou fora da escola. A situação ainda não está controlada e não é hora para arriscar a saúde de ninguém.

Informar-se faz bem

Procure estar bem informado sobre a COVID-19 – como se pega, como se evita, quais os sintomas. Se tiver dúvidas em relação aos termos médicos usados nos noticiários, confira o nosso glossário.

Nada de acreditar ou de espalhar notícias não confiáveis sobre a doença! O site no Ministério da Saúde tem uma área especialmente dedicada a desmascarar fake news sobre o assunto. Se quiser saber mais sobre como identificar notícias falsas, a gente explica.

Com informações da Sociedade Brasileira de Pediatria.

Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura "plenarinho.leg.br - Câmara dos Deputados" e não seja para fins político-partidários

Comente!

Seu endereço de email não vai ser publicado. Campos marcados com * são exigidos